A Esperança - Suzane Collins

» Contém Spoilers

A Esperança - Suzane Collins
"Meu nome é Katniss Everdeen. Tenho dezessete anos. O meu lar é o Distrito 12. Participei dos Jogos Vorazes. Escapei. A Capital me odeia..." 

Katniss está a beira da loucura, depois de ser subjugada a diversos tratamentos com morfináceos no distrito treze. Após ser resgatada da arena ela foi levada aos cuidados desse distritos que, silenciosamente, há alguns anos, organizavam uma revolução para tomar o poder da Capital. O momento chegara, Katniss dera ao treze a chance que estavam aguardando ao ascender uma faísca de revolução entre os distritos na primeira vez que esteve na arena. 

O terceiro livro da triologia de Jogos Vorazes é surpreendente e cheio de reviravoltas. No entanto, Suzane dá um desfecho inusitado à trama. Tudo começa com a ascensão do distrito treze, com uma tecnologia surpreendente e recursos, embora restritos, suficientes para alimentar todos os sobreviventes do distrito doze, após ser destruído pela Capital. 

O resgate de Katniss da arena foi esquematizado por Plutchart, Haymitch e os amigos de Katiniss. Apenas ela e Peeta não sabiam da trama. A intensão é que Katniss se torne o símbolo da rebelião, mostrando seu rostinho bonito para as câmaras e ajudando a tomar os distritos resistentes. Para tal, Katniss faz uma série de exigências que inclui a libertação de Peeta e dos outros tributos que agora são reféns da Capital.

Boa parte da trama, mais de 70%, se passa entre tomadas de televisão, ora da Capital, ora do Treze, mostrando os avanços da guerra, enquanto tanto um quanto outro tentam desestruturar os adversários com informações mescladas com um ataque ou outro. 

Confesso que, dos três livros, este é o mais cansativo. Uma infinidade de detalhes e "mimimi" dos personagens, diálogos incansáveis e discussões sem sentido preenchem suas páginas. Quando comparo os três livros percebo uma degradação na trama, tal que chego a me questionar os elogios que havia feito a autora. Tanto que ao final, quando os personagens começam a morrer e a história muda de rumo, fazendo mocinhos virarem os vilões, eu tive vontade de interromper a leitura, mas é claro que a curiosidade foi maior.

A história em si é fascinante. Embora tenha ficado a espera de um final feliz, até porque é isso que o título do livro nos propõe. Talvez, o mero fato da Capital ter sido de fato tomada já é a ideia que Collins tem de um super final.

Embora embaraçada com o desfecho da triologia, super recomendo a leitura, pois, atualmente, poucos livros tem nos proporcionado uma ficção tão intensa e chamativa. O livro já está sendo adaptado para o cinema, previsto para sair em duas partes (isso também é moda agora) no segundo semestre de 2014 / 2015.

Postagens mais visitadas deste blog

Armadilhas do Linkedin na busca de emprego

Palavras rasas sobre relações rasas.

Memórias do Heavy Metal - Mustaine