Era apenas uma canção

E foi de repente, não mais que de repente, disse o poeta...
Como um ruflar de asas de borboletas azuis em um dia de primavera
Ou como a invasão suave de mil jasmins à nuance da brisa matinal...
Era apenas uma canção, no meio de tantas outras
Entoadas com notas suaves em contraste com dedilhares vulgares
E uma lembrança viva
Tão real que, se eu fechasse meus olhos, eu poderia te tocar
Naquele momento em que o mundo se perdeu sob meus pés
Só para que eu pudesse te ouvir.
E fez-se o silêncio mais lindo do mundo
Enquanto a saudade esvaia-se pelo meu rosto.
Até seu cheiro, o vento fez questão te trazer.
E eu temi abrir os olhos e te perder novamente
Mas nesse instante pude contemplar seus olhos

A sorrir em cada estrela...


Postagens mais visitadas deste blog

Não me esqueça

Top 10 - Personagens Literários

Flores Caídas