Inferno - Dan Brown

Neste novo e fascinante thriller Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em O código Da Vinci, Anjos e demônios e O símbolo perdido e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado em uma das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri.

Numa corrida contra o tempo, Langdon luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o arrasta para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo o sombrio poema de Dante, Langdon mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.

Quando o livro foi lançado, no final de maio, eu pensei que estavam fazendo um alarde danado em torno de uma literatura fútil e desnecessária, como a de Dan Brown, no entanto, como um princípio (não sei dizer se ético) eu critico publicamente apenas aquilo que conheço. Peguei o livro emprestado com uma amiga e, surpresa! Apesar de ser uma continuação, em suma, da história dos três últimos livros, Dan Brown conseguiu expressar as figuras de linguagem com mais precisão e atenuação que nos prende a atenção do início ao fim. 

O livro contém toda fulguração em torno de símbolos, história e arte antiga, dá ênfase aos enigmas e conspiração, mas dessa vez de forma simples, sem aqueles "palavrões" complexos e técnicos. O autor opta por escrever mais popularmente, criando um vínculo de proximidade com o leitor. Ouso a dizer que "Inferno" mostra o aprendizado do autor após o fiasco que foi 'O símbolo perdido'.

O livro mantém uma narrativa rápida, bem mais acelerada que o famoso "O Código DaVinci", em que as cenas de ação se revezam com revelações e intrigas que servem para formar a estória, as reviravoltas da trama apenas demonstram a capacidade de Dan Brown de conseguir criar um cenário diferente a cada novo livro e e já nas primeiras páginas presenciamos uma perseguição implacável tendo como centro o professor de simbologia mais famoso do mundo e Brown extingue de vez aquela velha mania de fazer o vilão se passar por mocinho antes de revelar sua real identidade.

O tema central da história é baseado em A Divina Comédia, de Dante Alighieri, principalmente na primeira parte. Para quem não conhece a obra, Divina Comédia não tem nada de comédia, pois narra a viagem ao inferno, purgatório e paraíso de um homem apaixonado. Recheada de críticas, a obra foi escrita em forma de poema épico e Inferno retrata uma horrível visão do lugar em que os pecadores pagam por seus crimes, não é a toa que após o lançamento do livro de Dan Brown, a obra volte a ser alvo de olhos cheios de julgamento. Dante descreve minuciosamente os nove círculos do Inferno onde os pecadores são castigados nas mais horríveis puniçõe. Porém não apenas a obra literária serve de guia mas também as pinturas que por ela foram inspiradas como as pinturas de Sandro Botticelli e Gustave Dore.

Dan Brown retornou e com um livro realmente muito bom, a versão brasileira, lançada pela Editora Arqueiro, possui 448 páginas, mas que podem ser lidas numa velocidade assustadora, graças ao enredo. Inferno já nasceu como um best-seller e uma com ótima chance de se tornar uma aventura cinematográfica melhor do que os livros anteriores. Uma curiosidade interessante é que até a data do livro foi pensada: nos EUA o livro foi lançado em 14/5/13 um anagrama do valor aproximado do PI, 3,1415 fazendo referencia aos círculos do Inferno de Dante.

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10 - Personagens Literários

Não me esqueça

Flores Caídas