Vida de Estudante


Já estamos na metade do semestre letivo. Em várias universidades é período de provas e a galera fica totalmente agitada. Quem pensa que vida de estudante é mole, não conhece as manobras que é preciso fazer para conseguir sintonizar o estudo ao tempo. Para estudantes que trabalham então, isso é quase uma genialidade.

Financeiramente, o Brasil dispõe de muitos recursos para quem quer cursar nível superior. Hoje, além do Pro-uni, que é o melhor programa de incentivo ao estudo para a classe médio-baixa, ainda temos o Fies, que ajuda muito o aluno que pretende investir em seus estudos em longo prazo e o governo tem facilitado muito a concessão de crédito universitário.
É bem verdade que vários estudantes, principalmente aqueles que têm condições tranquilas de vida, não levam a faculdade a sério. Estão ali pura e simplesmente para status ou ter algo para fazer, mas aqueles estudantes que estão realmente a fim de  aprender alguma coisa precisam fazer manobras para conseguir.  
Além do fator tempo, que é um dificultador extremo, encontramos ainda fatores como a incompreensão dos professores, que passam trabalhos gigantes ao mesmo tempo enche nossa cabeça de informação, temos a disparidade dos trabalhos em grupo...
Com toda aquela conversa que aluno tem que aprender a trabalhar em equipe, resolver conflitos interpessoais e lidar com próximo de igual para igual, toda faculdade tem os famosos trabalhos em grupo, para nossa tristeza. A questão é que é impossível montar um grupo síncrono, primeiro porque os professores vetam, segundo porque 80% da turma não levam as coisas tão a sério. Ai começa todo stress pessoal que cursar uma universidade pode nos trazer.
Particularmente, preferiria trabalhar sempre sozinha, isso em qualquer área da minha vida... Eu sei que isso é egoísmo e antissocialismo, mas o fato de ter que “carregar” alguém nas minhas costas não me agrada nem um pouco. Como uma pessoa exigente, quero sempre o melhor, o caminho mais ágil e a ferramenta mais simples, mas... São poucos os que pensam como e conseguem ter essa visão e menos ainda os que lidam bem com isso. Resultado, torno-me uma pessoa chata e mesquinha perante meus colegas.
Só que eu não me importo, realmente, com isso. Estou na faculdade para aprender e dar o melhor de mim, mesmo que muitas vezes, o melhor não é suficiente, eu tento sempre tirar o máximo de proveito do tempo e dinheiro investido. Afinal isso irá refletir diretamente em minhas escolhas e em minha vida profissional. É claro que não sou e nem busco o perfeccionismo, simplesmente gosto do melhor, do aceitável para se ter uma média particular diferenciada e não abro mão, mesmo que tenha que comprometer as amizades, disso.
No mais, continuemos com a correria, tentando ao máximo realmente levar algum legado dessa experiência, maçante, porém muito gostosa...

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10 - Personagens Literários

Não me esqueça

Flores Caídas