Que venha 2012!

Todo fim de ano parece igual, as ruas cheias denunciam a obsessão das pessoas. Quando chega meados de novembro, todo mundo adquire uma áurea de bonzinho e desbanca a fazer tudo aquilo que não fez durante os dez meses e meio que passaram e, a medida que os dias avançam, o movimento aumenta tão velozmente que chega a sufocar. De repente todo mundo tem um sorriso no rosto, alguns minutinhos no café ou, se tiver sorte, até um "happy hour" na sexta... Ah! Quem me dera se toda essa educação, esse "espírito natalino", essa expectativa se prolongasse e permanecesse durante todo o ano... 
Vemos tantas promessas, tantas propostas, tanta solidariedade que chega a dar orgulho de como uma sociedade é capaz de se mobilizar em favor do outro, o que me deixa triste é perceber que, se fosse contínua, toda essa realização poderia extinguir a fome e a miséria do nosso país, e ouso a dizer mais: temos muito mais potencial para ajudar os outros se não fossemos subjugados pela onda de consumismo e detriorização que também nos arremete nos finais de ano.
Chega a ser apavorante a sede de comprar... as pessoas adquirem tanta coisa desnecessária que ficará guardada até, quem sabe, em um outro momento de enlevação espiritual, doar para alguém que precise daquela tralha, enfim... finais de ano me cansam.
Depois de um ano cansativo, exaustivo vem toda essa baboseira de festas, toda essa hipocrisia de "vamos ajudar os outros" ou "o futuro já começou". Pra que tem que esperar o ano chegar ao fim para fazer a diferença? Não pode simplesmente acordar numa manhã de inverno e pensar em fazer algo para os outros? Até para ser "humano" tem que seguir o modismo inescrupuloso da mídia sensacionalista? 
Todos esses enfeites são irritantemente falsos. Toda essa melação, essas promessas... as pessoas não fazem ideia de como soa falso um "feliz natal", ou a mensagenzinha copiada do Google que é enviada em massa para todos os endereços eletrônicos em sua lista. A promulgação de spam nessa época aumenta gradativamente, junto com as caras de paisagem das mesmas pessoas que passaram por você o ano inteiro de cara amarrada. Nos finais de ano tudo vira promessa, tudo vira sonho... e as pessoas embarcam nessa onda, achando que isso as tornarão melhor, crendo que no próximo ano as coisas serão diferentes por si só. O que ninguém quer é abrir mão dos seu ego pra fazer a diferença, por todos...
E que venha 2012!



Postagens mais visitadas deste blog

Não me esqueça

Top 10 - Personagens Literários

Flores Caídas