Ecos

"Meu caminho se traduz em aporte ao vale dos sonhos
Problemas e decepções já não me nublam o horizonte
Minha vida se esculpe em águas insanas
Grotões, quedas, corredeiras, rios
Suas entranças não me fazem chorar
Deságuam num mar inocente de vagas rebeldes
Ecos de um amor perfeito
Arco-íris de sonhos que o cio anuncia
Por fendas penetram em meus pensamentos
Por gotas, neblina, fecundam minh’alma
E deslizam a nau onde está meu amor às entranhas de meu coração
Tão intensa é a força de minha paixão
Rubras se tornam revoltas no pulsar de meus rios internos
E jorram, inundam, irrigam meu coração declarado
Excitado por chamas insípidas
Termas de luz que encharcam meu mundo
E matam a sede que me consumia
Nem mil sóis evaporam suas caldas
No máximo as levam até a lua ingênua
Onde repousam no Mar da Tranqüilidade
Ou desabam sonoras no Oceano de Tormentas
E ecoam até o mais infinito dos céus
Tão louco que é este meu novo grande amor"


(Luís Henrique - original em: http://ecodesorrisos.blogspot.com/2010/12/ecos.html)

Postagens mais visitadas deste blog

Armadilhas do Linkedin na busca de emprego

Palavras rasas sobre relações rasas.

Memórias do Heavy Metal - Mustaine