Infinito

Lá fora a chuva é intensa
as ruas estão desertas
a cidade está fria...
Hoje as pessoas não quiseram colorir a cidade
está tudo em um tom silencioso de solidão
e vazio.
As flores dos jardins estão dançando em alegria
com suas secretas orações de agradecimento
a magia que faz da vida um espetáculo.
Quando todos se calam é que posso ouvir a canção do flautista
que de horizontes límpidos pela chuva, desenham nas estradas
e meu espírito insiste em seguir nesse caminho.
E na chuva os bosques não gracejam com as borboletas
e mesmo com o colorido da primavera, as florestas são sombrias
e as palavras no vento continuam sem sentido.
Mas é só um dia de chuva que observo pela janela
o resto é fantasia da alma,
um ponto de fuga para o infinito.

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10 - Personagens Literários

Não me esqueça

Flores Caídas