Liberdade

Liberdade
E de repente não há mais o pranto
secaram-se as lágrimas de dor
voou para longe aquele velho amor
deixando espaço para um novo canto.

Como, pela manhã, ver o sol raiar
trazendo uma suave brisa de serenidade
me afastando sem querer voltar
correndo por campos Elísios de liberdade.

E de você não resta sequer saudades
só um adeus pelo que foi vivido
e um gosto amargo de tempo perdido,

já não participo de suas verdades
escondi minhas faces pelo meu recanto
e assim os olhos perderam todo encanto...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavras rasas sobre relações rasas.

Armadilhas do Linkedin na busca de emprego

Sugestões de aplicativos para quem gosta de ler