Eu Sou O Mensageiro - Marcus Zusak

Eu Sou O Mensageiro - Marcus Zusak
Do mesmo autor de "A Menina que Roubava Livros", Eu Sou o Mensageiro conta a história de Ed Kennedy, um jovem de 19 anos que leva uma vida pacata, inclinado à frustração existencial. Ed não pensava no futuro, não tinha pai, que foi vítima do álcool, e sua mãe era ranzinza e mal humorada. Cresceu em um ambiente perfeito para se tornar um jovem rebelde, com a crença de ser insignificante e dispensável.

Kennedy morava sozinho, com seu cachorro viciado em café, em um pequeno sobrado alugado. Com quase nenhuma experiencia afetiva, se apaixona por sua amiga Audrey, que apesar de gostar de Ed, ficava com todo mundo, menos com ele. Nesse cenário descolorido e sem graça, o protagonista mergulha em uma rotina mecânica, na qual ele não precisa se esforçar para ser alguém especial.

Tudo se transforma quando, acidentalmente, Ed impede um assalto ao banco em que ele se encontra com os amigos. As pessoas passam a reconhecê-lo e, a partir de então, cartas de baralho começam a aparecer na sua caixa de correio. As cartas sempre tem um endereço e alguma mensagem sem sentido imediato que guia o jovem ao encontro de pessoas que precisam de ajuda. Pessoas que até então Ed negava a existência.

Zusak usa de uma linguagem clara e direta que traduz concretamente realidades desagradáveis ao mesmo tempo que se expressa de forma compassível e pungente. Isso faz com que o leitor acompanhe a guinada da existência de Ed, que passa de um mero ser insignificante na sociedade para alguém que encontra um novo sentido vida, por dedicar-se às pessoas.

O mistério que ronda a história é intrigante ao mesmo tempo que motivador. Isso faz com que lemos o livro todo de uma vez só, apenas para descobrir o desfeche que envolve os personagens, de uma forma ainda mais cativante que a maioria das histórias contemporâneas, pois aqui, o enigma é tangível de algo mais concreto e passível do mundo real. 

O livro foi publicado pela Intrínseca em 2007, levando o prêmio "Printz Honor" à Marcus Zusak, na categoria "melhor autor de livros juvenis". Essa é uma leitura interessante, principalmente nos dias de hoje, em que as pessoas não veem umas às outras e se submergem cada vez mais em valores invertidos. A história mostra, de uma maneira descompromissada e divertida, como alcançar o "mundo melhor" que tantos dizem almejar...

Comentários

  1. Nossa, esse livro deve ser muito legal, eu adorei a capa e o cachorro viciado em café, rs... Esse Ed parece ser muito interessante, psicologicamente falando. Lá vai eu comprar mais um livro... Como sempre ótima resenha, amiga. Beijinhos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Armadilhas do Linkedin na busca de emprego

Palavras rasas sobre relações rasas.

Memórias do Heavy Metal - Mustaine