2

Escolhas Erradas

E um dia a gente pára no meio do caminho e se pergunta como é que pode fazer todas as escolhas erradas... É exatamente assim que estou me sentindo, presa nas consequências de minhas escolhas e perdida na insanidade de meus pensamentos. 
Tudo o que qualquer ser humano almeja é a felicidade. Direta ou indiretamente, todo mundo está buscando uma plenitude tão estigmatizada que ninguém nunca pensou em como seria depois de ter se realizado completamente, em todas as áreas da vida. É, falando assim parece meio utópico, mas a verdade é que não sabemos nem ao certo o que estamos buscando. 
E comigo não é diferente. Eu só queria ser feliz... a minha vida inteira eu só quis ser feliz... mas eu percebo, um pouco tarde de mais, que tentei encontrar essa tal felicidade de maneira errada. Na verdade eu criei meus próprios arquétipos e fui em busca de encontrá-los e cada vem mais eles se tornavam mais complexos, exigentes e irreais. 
Por mais simples que eu considere meus sonhos de plenitude, eu vivi muito tempo tentando encontrar uma forma de traze-los à realidade, mas esqueci de perceber que, enquanto isso, a vida seguia e as oportunidades vinham e iam embora, enquanto eu estava lá, sonhando... Olhando agora, de longe, eu posso ver quantas vezes aquilo que me deixaria feliz, e digo feliz mesmo, estava ao alcance das minhas mãos... quantas vezes exatamente o que eu buscava esteve tão perto e, a ambição de querer sempre mais me fez desperdiçar a chance de ser feliz. Não feliz para sempre... mas talvez por tempo suficiente para aplacar minha ansiedade de busca sempre aquilo que não era... que não estava lá. 
E não vou nem detalhar as escolhas erradas, as atitudes grosseiras, as palavras ditas quando era para ter ficado em silêncio e as palavras não ditas... as lágrimas em vão, as amizades perdidas, as que não deveriam se quer ter existido. A falta de perdão, e o excesso dele... 
Eu me sinto frustrada com minha vida. Me sinto frustrada por ter acreditado que, quando algo não desse certo, era só recomeçar, só esqueceram de dizer que esse "recomeçar" levava embora o tempo e, apesar de servir de experiência uma ou duas vezes, ficar o tempo todo tentando passar a vida a limpo só faz com que descobrimos mais erros, mais detalhes que não deveriam estar lá. Fiquei tão alucinada com o medo de errar, que acabei errando mais do que deveria... 
Somos prisioneiros das consequências das nossas escolhas, já dizia Neruda. Uma prisão sem grades, sem limites...

2 comentários:

  1. Infelizmente algumas vezes na vida acabamos fazendo escolhas erradas. O jeito é ao menos tentar tirar algum aprendizado e tentar não cometer os mesmos erros. Mesmo com as consequências de haver errado, o importante é não desistir, sonhar e lutar para que as coisas deem certo. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.