Esse Tempo que Não Passa

Dentro do meu peito está ardendo aquela dor que só a decepção conhece. De repente eu abro os olhos e percebo que entreguei tudo, todos os meus planos, todos os meus sonhos, para me dedicar a outro alguém, e o que eu recebo em troca é um telefone desligado em minha cara, sem sequer uma explicação. A frustração está presa em minha garganta enquanto eu tento não fechar os olhos para que não caia nenhuma lágrima, mas o desespero está tomando conta, pouco a pouco, de cada pedacinho do meu corpo. E dói... dói ver todos os esforços que fiz para que desse certo. Dói lembrar de tudo o que já ouvi para que fosse real... dói... dói e eu não estou conseguindo lidar com essa dor infernal que está me vencendo. Se pelo menos eu tivesse em casa, no refúgio do meu quarto escuro, vazio... se pelo menos eu pudesse colocar aquela música alta para interromper todos os meus pensamentos... mas agora eu tenho que fazer cara de paisagem, fingir que não tem nada acontecendo, respirar fundo, respirar fundo outra vez... Quantas vezes será preciso me machucar para que eu aprenda? Quantas vezes eu precisarei ser ofendida, ser humilhada... quantas promessas ainda terão que ser quebrada? Porque eu simplesmente não dou um basta em tudo isso e ignoro qualquer reação que insiste em permanecer em mim, por que simplesmente não abro mão de tudo isso. Afinal, tudo só me faz sofrer e sofrer está sendo enfadonho... quase constante. Porque eu não "acordo" desse sonho que inventei, que há muito virou pesadelo e desapareço dessa história de uma vez por todas. Eu realmente não aguento mais... não aguento mais tanta mentira, tanta indiferença, não aguento mais tudo isso... cansei dessa história mediócre eu quero sair... mas como? Não sei se por comodismo, por medo, por devaneio... por ainda acreditar... eu simplesmente não sei porque, mas me sinto presa em cordas atadas a esse relacionamento que há muito só existe em minha cabeça... Porque é tão difícil pra mim tomar decisões? Porque é tão complicado escolher um lado diferente deste que está todo errado? Eu estou me sentindo perdida... e estar perdida e quase assustador...

Hoje em dia não tenho a mesma disposição para fazer amizades como antes, e minhas amigas... de repente elas estão ocupadas de mais com os namorados delas para me dar um pouco de atenção. Acaba que sou só eu, os livros, as músicas e as lembranças... cada uma delas amargurando meus dias, fazendo os segundos passarem mais lentos enquanto observo o tempo os empurrar sentido afora. É como se a vida em si quisesse parar, porque eu doei meu tempo, minha dedicação, meu carinho, meu amor... e agora é só silencio e as velhas canções vazias que me fazem companhia. E o tempo... ah, sim, ele é capaz de curar, mas primeiro ele destrói. Primeiro ele consome, como um vento forte derruba todo castelo na areia da praia... não importa quanto tempo tenha levado para construir suas convicções, suas rotinas, sua maneira de viver... o tempo destrói tudo, e tudo o que é tirado de nós deixa um vazio sufocante, uma dor de ausência como o gosto de sangue na boca... até absorvermos tudo... todo desespero. Ai sim o tempo nos mostra que era apenas um processo de cura. A alma não entende, o corpo muito menos... enquanto se observa os segundos sendo dilacerados no relógio, tudo o que quero é pegar o telefone, fazer uma ligação... mandar uma mensagem. Por fim em toda solidão. Mas o medo é mais angustiante ainda, o medo da rejeição, o medo de ferir o orgulho, o medo de não haver respostas... e não há mesmo... as respostas nunca vem... E eu fico tentando me convencer que se eu fechar os olhos a dor vai diminuir... fico tentando me distrair quando os pensamentos insistem em reviver... nessas horas a raiva, a decepção a humilhação não aparecem para mostrar a realidade somente os momentos bons, os sorrisos... quase posso sentir o gosto do beijo, quase posso sentir o cheiro da pele... e me pego perguntando ao tempo porque ele não parou naquele momento, em que tudo estava relativamente lindo... pareceu-me que passou tão depressa e agora, enquanto tento juntar os fragmentos da minha alma, eu observo que o tempo é um mestre indisciplinado... nos faz viver por longos períodos aquilo que nos destrói... mas dizem que é apenas para nos tornar mais forte.

Comentários

  1. Tudo a ver comigo esse trecho: "Mas o medo é mais angustiante ainda, o medo da rejeição, o medo de ferir o orgulho, o medo de não haver respostas... ". Nossa! Como o medo modifica nossas vidas não é mesmo? Eu deixei de fazer tanta coisa, me arrependi de não ter arriscado mais... Mas acho que o tempo também cura essas coisas, eu acho, e traz as respostas... A gente acha que não há respostas, aí, quando menos se espera, a vida nos surpreende... Muito cheio de sentimento esse texto. Qualquer coisa é só me chamar, viu? Te adoro!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Armadilhas do Linkedin na busca de emprego

Palavras rasas sobre relações rasas.

Memórias do Heavy Metal - Mustaine