2

Reencontro

Estavam lá, frente a frente, feito dois estranhos.
Resistiam ao toque e aos olhares intensos
nenhum dos dois queriam ceder
havia mágoas de mais que os impediam.
Ameaças e promessas se fundiam
o desalento e a esperança deixava um ar de revolta
os erros, os fatos, os pensamentos eram regurgitados face em face
Um clima tenso uma noite fria, um silêncio...
De repente as mãos se tocam e o corpo arde
já não querem mais brigar, as vozes se acalmam
os pensamentos se aquietam.
As lembranças começam a alimentar a saudade
correndo pelas veias o desejo
se aproximam, se entregam ao beijo
se rendem ao toque sedento...
O corpo quer, a alma entende
e não precisava se dizer mais nada
se perderam em si mesmo tentando fugir
mas agora havia um luar naqueles olhos
como se fosse o primeiro olhar.


2 comentários:

  1. Na situação que me encontro, mexeu comigo esse texto.
    mariibrigadeiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que lindeza, sentimentalismo a flor da pele. Encantadíssima!
    ;)

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.