2

Versos

Lá fora chove,
Ouço as canções do vento sombrio da noite
O resto é solidão,
Escombros perdidos na alma vazia
Que dilacera incauta sobre os sonhos .
Adormeço ao cheiro dos jardins
Pensamentos vagantes por horizontes sórdidos
Pessoas correndo
Carros desgovernados
E eu em silêncio...
Fecho os olhos e finjo não ver
Que a dor não passa com a tempestade
O perfume das flores me remete à lembranças
De um tempo que há muito não existe mais
São só versos
Poesias de silêncio e de som
Ecos...
E o gosto daquilo que não volta
Mas não se perde de mim

2 comentários:

  1. Recebi um selo de qualidade e devo indicar blogs que mereçam ser lidos e por isso estou te escrevendo pra te dizer que o seu foi um dos que eu considero de relevância!!!Entre nesse link e copie o selo e o poste no seu blog responda as perguntas e indique outros que mereçam ser apreciados!!!Abração!

    http://dersinhodersinho.blogspot.com/2011/03/um-selo-de-qualidadee-comigo_13.html

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.