Insanidade

Ouço músicas antigas
que despertam lembranças estranhas
fecho as cortinas porque o sol me incomoda,
ou será a vida lá fora?

Acho que estou bem
mas não tenho certeza...
Eu podia ter seguido um caminho diferente,
mas onde eu estaria agora
se a estrada fosse outra?

Respiro o cheiro daquele mar
e a saudade me sufoca
sinto o perfume de lençóis novos
e sonhos com gosto de palavras.

O vento trás histórias antigas
e as canções não mudam
só as vozes
eu crucifico cada acorde dentro de mim
transformando essas canções em sinfonias de morte,
de desespero
e de despedida

Hoje eu acordei em um estado deprimente,
mas uma caneta e um caderno aplaca meu delírio
e as páginas insanas não dizem nada
que faça sentido
só falam de coisas
que insisto em esquecer!

Comentários

  1. Tento comentar seus poemas, mas não consigo.
    Me perdoe, mas sofro também. Suas palavras seriam lindas se fantasia, mas sei a dor que vc sente e essa sua dor atravessa o espaço e vem parar no meu coração.
    Me desculpe a intromissão, mas reaja, por favor.

    Obrigado por sempre estar comigo. Te amo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

Armadilhas do Linkedin na busca de emprego

Palavras rasas sobre relações rasas.

Memórias do Heavy Metal - Mustaine