3

Um Dia de Chuva



O cheiro de poeira exala pela casa, assim que as primeiras gotas de chuva começam a cair sobre a terra fofa do quintal. Olhava pela janela o enegrecer do dia e a transformação que a tempestade causava, é adorávamos olhar a chuva pela janela até que esta nos expulsava violentamente obrigando-nos a ficarmos trancados em casa. As trovoadas e os relampângos impediam de ligar a tv ou qualquer outro aparelho, quase sempre a energia sofria picos intensos quando armava esses temporais. Era intediante ficar dentro de casa sem fazer nada, enquanto a natueza se deliciava nas águas que jorravam lá fora, em um som de agradecimento.
A idéia surgiu nos olhares cúmplices que se encontravam transmitindo o mesmo pensamento. A enxurrada lá fora corria morro abaixo lavando da rua as marcas de um dia quente, e as brincadeiras que seguiram... ninguém percebeu nossa intenção quando habilmente dobravámos folhas do jornal encontrado sob as lenhas, e tranformava tudo em pequenos barcos de papel. Continuávamos em silêncio, enquanto os outos procuravam maneiras para se distrair... mas nós sabiámos de nossas intenções. Agora, já pediámos para que a chuva se estendece por mais algumas horas enquanto criavámos nossos brinquedos.
Saimos sorrateiros, enquanto ninguém olhava. Lá fora a chuva enchacava meus cabelos instantaneamente e em poucos minutos estávamos completamente molhados. Com os restos de madeiras e tijolos criávamos nosso mundo imaginário e tudo passou a ser parte de um faz-de-conta encantado. A enxurrada se transformou em um campo de batalha onde de um lado a outro da rua brincávamos sozinhos, encharcados da chuva forte e dos espirros ao correr pela estrada alagada. Gostávamos da chuva. E gostávamos de estar naquele momento em que podiámos ser amigos inseparáveis até mesmo nas travessuras, até que alguém nos puxasse pela orelha e nos levasse para dentro para um castigo. Mas em pouco tempo nos divertiámos mais que em qualquer outro momento, porque não importava ao certo o que faziámos, mas estavamos juntos, isso era amizade.

3 comentários:

  1. Amizades de infância marcam bastante. E nada melhor do que uma chuva pra marcar uma experiência.

    ResponderExcluir
  2. Belo texto, gostei bastante. Ótimo blog, parabéns

    Depois, quando puder, vai lá no meu blog. Se gostar, siga-nos ;D
    www.gabrieltododia.blogspot.com

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.