1

Sozinha


faz minha cabeça
Eu estou me sentindo sozinha, mesmo com uma multidão por aqui. Já senti isso tantas vezes que até reconheço o aperto no peito, os olhos vazios. As mãos que insistem em compor navegam pelas letras picadas, que não fazem mais sentido e, há algum tempo já não há sentido mesmo nessas palavras repetidas, o silêncio do lado de dentro permanece...
As brumas da manhã inventam paisagens novas, onde havia um horizonte solitário permanece o vazio, como dentro de mim, que está frio. Paisagens não trazem a beleza dos pássaros e sim piados mórbidos de uma manhã gelada. Sinto a brisa sobre mim, sinto a vida do lado de fora.
Algo se quebra diante dos meus olhos foscos, passo a ver os sonhos em cacos despedaçados pelo orgulho que sobrevive e sufoca na garganta. O olhar turvo se perde mais uma vez, mas eu insisto em procurar, persisto em prosseguir. É só mais um sonho que se parte de mim, já me acostumei com o vazio dentro do peito e, não há porque voltar aqui. Eu olho em volta e os pensamentos buscam um ponto de apoio, vejo como as coisas passam rápido por mim, vejo como o gosto ainda fica na boca, a vontade de continuar, pela estrada vazia, sem jardins...
Estou me sentindo sozinha, mesmo com uma multidão por aqui... intento em querer respostas sem as perguntas certas, é o vazio que me incomoda, as lembranças que me sufoca e me faz querer gritar ao desconhecido, ao horizonte partido... Intento em querer respostas que sei que não irá me satisfazer, mas meu corpo pede, minha mente pede pelas respostas sem as perguntas certas.
As palavras se repetem e não dizem nada. A vida ainda está amanhecendo o dia, as pessoas correm... eu fecho os olhos devagar e sinto o vento. Sinto o cheiro suave que ele trás, o gosto das lembranças que permanecem. E foi por tão pouco tempo que não entendo, como um olhar tão profundo tomou conta de mim. Eu até pensei em seguir juntos nesse caminho distante, mas a essência da vida é partir, sozinho, quando se tem vontade de ficar.

Um comentário:

  1. DOMINGO, 31 DE JANEIRO DE 2010

    O nosso amigo "o vazio"
    No inicio a terra era sem forma e vazia. Na verdade, existem mais espaços vazios no espaço, na natureza, nas menores partículas e menos matéria. Até no diamante, que é considerado o material mais resistente, esta propriedade se mantém. O vazio é a origem de tudo. Disse Deus: "Antes de mim nenhum deus se formou". O que dá a entender que vazio precede a existência de Deus e de tudo. O vazio é a perda de identidade, é o não ser. Estar no vazio é estar no todo, é fazer parte de tudo e ao mesmo tempo não ser nada. Preencher o vazio é distrair a mente, ignora-lo, ou fingir que ele não existe. Lutar contra ele é desgastante e inútil. Diga para ele: " Venha vazio!, Tome meu ser e me vença!, Faça me sentir solitário no meio de uma multidão!, Exprema minha alma e expurgue para fora toda força criativa adormecida. Me inspire!. Dê-me um verso!, Um conto, uma poesia, uma lorota, até mesmo uma piada. Eu zombo de ti e tu zombas de mim". Seremos companheiros e amigos até o fim.(Walter Sasso) -http://www.lapsoevirgula.blogspot.com

    Amiga! Vejo que o vazio também é sua fonte de inspiração. O vazio é o berço de Deus.
    Um grande abraço, parabéns pelo seu blog e muito obrigado pelo seus comentários. Sobre meu livro
    Tsuru Li - dedicado à pratica do Tai chi e auto cultivo esta disponível nas livrarias Saraíva, Cultura, Siciliano, por exemplo.
    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.